O presidente do PT da Bahia, éden Valadares, destacou o trabalho do articulador do  encontro, Agnaldo Pataxó, coordenador geral  do Mupoiba.

O Partido dos Trabalhadores (PT) da Bahia reuniu neste fim de semana, sábado, 9, e domingo, 10, em Feira de Santana, no primeiro Encontro Setorial Indígena, com as presenças de representantes de 20 etnias da Bahia.

Na oportunidade, o presidente da sigla no estado, Éden Valadares, ao lado do coordenador Agnaldo Pataxó, da Executiva do estadual, do vice-presidente, Glauco Chalegre, debateram medidas para fortalecer e estimular as candidaturas indígenas nas eleições municipais de 2024 e gerais de 2026.

Lideranças indígenas entregam a carta ao presidente do partido éden Valadares

Após um logo debate o partido recebeu uma proposta, que foi entregue por meio de uma carta ao presidente estadual, para garantir a ampliação do financiamento e das cotas nas campanhas, apoio jurídico, de comunicação e mais protagonismo do Setorial.

“Essas propostas foram produzidas após muito diálogo e entendimento entre os membros do partido e os petistas indígenas. São reivindicações que vão promover uma maior inclusão dos nossos povos e das nossas pautas nos espaços de poder”, disse o coordenador do Setorial Indígena, Agnaldo Pataxó, que também está coordenador estadual do movimento indígena no estado, o Mupoiba.

Patrícia Pataxó superintendente de Políticas para Povos Indígenas da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), posou para foto.

Já o presidente do PT da Bahia, Éden Valadares, afirmou que o Encontro inaugura um novo momento na política do estado. “A chegada de novas lideranças indígenas aos espaços de poder é um pacto e uma meta assumidos coletivamente hoje por dirigentes do PT Bahia e dos povos indígenas. o PT tem a aprender com a cultura e com a tradição dos povos indígenas da Bahia”, disse Valadares ao final do Encontro.

Também participaram do Encontro o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Felipe Freitas, a superintendente de Políticas para Povos Indígenas da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Patrícia Pataxó, Cacique Flávio, da Secretaria de Saúde Indígena do Governo Federal, a deputada estadual Fátima Nunes, o ex-deputado Marcelino Galo, e de importantes lideranças indígenas do estado, dentre elas, o cacique Babau Tupinambá, o poeta cacique Juvenal Payayá, além de dirigentes estadual da sigla, e  de representantes dos 17 núcleos do Setorial Indígena nos municípios.

Informações do Blog Povos Indígenas